Corpos [poesia]

Corpos

 

A CINZA NOS CORPOS

Estão aqui palavras a mais ou a menos

para dizer aquilo que não pode ser dito

corpos de repente saídos de si e dos outros

falas que se dizem como fantasmas

Fazemos o possível

Aceitem-nos assim

Talvez ajudemos o mundo

a renascer

 

Os nossos corpos estão cobertos de cinza

tentaremos ser iguais e de novo renascer

desta espécie de morte sem heroísmo talvez

seguros apenas que mais uma vez tentámos

afincadamente

refazer as vidas

à nossa medida

de felicidade

(…)

One Trackback to “Corpos [poesia]”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: