Posts tagged ‘Jornal Expresso’

15/01/2012

DESACORDO ORTOGRÁFICO

por cam

Pedro Mexia assina este Sábado no suplemento A(c)tual do Expresso uma excelente crónica sobre o Acordo Ortográfico: coloca as questões pertinentes, de forma lúcida e inteligente. Com a devida vénia, posto:

ANTIGA ORTOGRAFIA

Anúncios
10/12/2011

PARDIEIRO LUSO

por cam

Manuel de Freitas, sobre Um Fio Que Te Prende à Vida, de Rui Caeiro, Língua Morta, 2011, hoje, 10 de Dezembro de 2011, no Actual do Expresso.

16/04/2011

«INSANAS CONFISSÕES»

por cam

 

Henrique Monteiro (Expresso)

 

Henrique Monteiro (jornal Expresso, 0:00 Sábado, 16 de Abril de 2011):

«Acho que foi no fim-de-semana, ao ver o Congresso do PS, que enlouqueci. A vida tornou-se-me mais fácil com esta singela constatação. Afinal, o que se passa no país é simples de compreender… Fomos sempre bem governados. Estávamos num caminho fantástico (TGV, novo aeroporto, auto-estradas à borla, etc.) até que houve uma crise nos EUA. A partir daí a coisa tremeu um pouco, mas como a nossa economia era sólida resistiu melhor do que as outras. O problema foi que começou o ataque ao euro e o mau feitio das agências de rating, mas nós estávamos firmes. A Grécia, esses aldrabões de contas, e a Irlanda, país de neo-liberais, é que não se aguentaram. Mas nós, oh, nós estávamos como uma rocha. Fizemos dois ou três PEC e pronto, a coisa resolveu-se a contento. Só que houve qualquer coisa nas contas europeias e os nossos défices aumentaram todos – o de 2010 em três mil milhões. No entanto, em 2011 estávamos numa trajectória magnífica! Até que, perante ataques terríveis, tivemos de apresentar um PEC a Bruxelas que tinha uns pequenos contratempos, cortes nas pensões miseráveis e assim.  Nada que fosse para este ano, claro! A oposição – oportunistas! – chumbou o PEC no Parlamento e pimba! – ficámos sem dinheiro de um mês para o outro. Nem para salários da tropa há graveto.

Mas há um homem que nos vai salvar. Lá no Congresso do PS disse tudo por tudo. Vai apresentar como programa de Governo o PEC 4 e os socialistas bateram palmas. Gente que eu respeito há 20 ou 30 anos – Ferro Rodrigues, António Vitorino, António Costa – dizem que sim, aplaudem, colaboram e apoiam esta solução milagrosa que nos voltará a colocar bom caminho em que estávamos.

Ainda pus a hipótese de todos eles estarem doidos, mas é mais simples o doido ser eu.

E, já agora que sou doido, uma palavra para saudar a adesão do PSD às mentirolas, e outra para Cavaco: Senhor Presidente, que grande trabalho Vexa. tem feito! Que magistratura!

Se este estado de insanidade não passar, vou pedir esmola para a rua e aproveitar para discutir com todos os que ma quiserem dar. Como é próprio dos loucos, cantarei uma canção. É do José Mário Branco, mas não é o FMI. Esta é assim: “Entre a rua e o país  /  vai o passo de um anão  /  Vai o rei que ninguém quis  /  vai o tiro de um canhão  /  e o trono é do charlatão”,»

%d bloggers like this: