URBANO BETTENCOURT

por cam

Lista dos 80 poemas lidos na Antena 1/Açores na rubrica Poema do Dia, organização da Associação Despe-te que suas, disponibilizados ou a disponibilizar no YouTube

Natália Correia 
Credo
Almada Negreiros
Aconteceu-me
Vitorino Nemésio
Semântica Electrónica
Emanuel Félix
Five o’clock tear
Mário Cesariny
You are welcome to Elsinore
Roberto de Mesquita
Eli!Eli!
Maria Antónia Esteves
Feio Bicho
Florbela Espanca
Vaidade 
Urbano Bettencourt
Regressos, reencontros
Álvaro de Campos
Sim, está  tudo certo
Eugénio de Andrade
Algumas reflexões sobre a mulher
Alexandre O’Neill
Entre pedras, palavras
Renata Correia Botelho
A árvore das raízes
Almeida Firmino
Carta para António Nobre
Garcia Monteiro
Pela boca
Santos Barros
Re-flexões campesinas.2
Antero de Quental 
«Despondency»
David Mourão-Ferreira
Ilha
Sophia de Mello Breyner
Deriva (VIII)
Jorge de Sena 
Quem muito viu
Resendes Ventura
Filhos
António Ramos Rosa
Para um amigo tenho sempre um relógio
Emanuel Jorge Botelho
Naquele tempo éramos donos
Alberto Caeiro
Para além da curva da estrada
Reinaldo Ferreira
Vivo na esperança de um gesto
José Martins Garcia
Gato eleitor
João Pedro Porto
Demora
Pedro da Silveira
Último regresso (Elegia)
Rui Duarte Rodrigues
Namorados de Sarajevo
Natércia Freire
Poema de Amor
Ruy Cinatti
Meditação
Camilo Pessanha
Ao longe os barcos de flores
Sebastião da Gama
Pasmo
Mário Machado Fraião
A pesada porta 
 Ruy Belo 
Na praia
Ivone Chinita
«Em Agosto» 
Madalena Férin
«tristes correm os dias»
Eduíno de Jesus 
Ode elegíaca a Luzília afogada.2
Eduardo Bettencourt Pinto
Amor 
Avelina da Silveira
Palavras de Agosto
Artur Goulart 
Lembras-te
Fernando Reis Júnior
Sírius
Almeida Garrett 
Rosa sem espinhos
Luiza de Mesquita
Regresso ao mar
Virgílio de Oliveira
Irmão negro
Armando Côrtes-Rodrigues
Sou uma árvore
Hilda Hirst 
Do desejo
Mia Couto
Para ti
Carlos Faria
S. Jorge, universo
Borges Martins
Em memória de Joaquim Agostinho
Álamo Oliveira
do abril
Ivo Machado
Regresso
Manuel Alegre 
Os velhos baleeiros
João Teixeira de Medeiros 
Monólogo do Relógio 
Adelaide Freitas/Batista 
«Quando a ilha acorda»
Marcolino Candeias
Rota de Ítaca
Vergílio Vieira
Ondas são palavras
José Tolentino Mendonça
A infância de Herberto Helder
Judite Jorge
Descanso 
Vasco Pereira da Costa 
O pescador de San Diego 
João Afonso
É essa, é essa a casa
Nuno Costa Santos
A casa de um amigo
José Francisco Costa
Desabafo de poeta em fuga
Luísa Ribeiro
«Sou peregrina…» 
Luís Filipe Borges 
Filho és, pai serás
Carlos Nogueira Fino
Poemas de ilhamar XXI
André Moa 
Amanhecer
Carlos Alberto Machado
«Um cais sem escolhos…»
Ricardo Reis 
Em Ceres anoitece
Victor Rui Dores
«Fernão Lopes disse…»
Fernando Martinho Guimarães
Mindelo, São Vicente, Cabo Verde
Sidónio Bettencourt
Tantos olhos tanto mar
J. Tavares de Melo
Quietude?
Jacinto Soares de Albergaria
Clausura
José Enes
 Chuva 
Mário Cabral
Receita para Setembro (excerto)
Rui Machado
Não tenho a tarde para contar
Sónia Bettencourt
Sem título
A invisibilidade de Deus
Al Berto
O Menino de sua mãe 
Fernando Pessoa
Anúncios
Etiquetas: , ,

2 comentários to “URBANO BETTENCOURT”

  1. Carlos, obrigado por mais este gesto amigo e cúmplice. Em nome da poesia, um abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: