QUEIMAR AS MÃOS AOS SUJOS

por cam

A blogosfera, como se diz, obriga, a quem nela admite expor-se, à não ultrapassagem de certos limites. Opto por instaurar uma espécie de campo minado: não é mortal, mas queima as mãos aos sujos.

Por isso, falar dos dias só é possível no interior desse limite.

Entre ruídos, protejo-me.

Silvina Rodrigues Lopes: “A inteligência que abre desmedidamente a ferida da linguagem e do mundo traz consigo a exigência de um filtro do esquecimento, filtro que o sujeito não pode receber como um objecto, mas a que se entrega na poesia, onde a alma, arde como uma coisa que arde, onde tudo começa a ser real: a beleza, o amor, o anonimato de cada coisa.”

O texto em itálico é parte de uma “fala” da personagem “Fausto”, do Fausto fragmentado de Pessoa. E o texto de Silvina chama-se Fausto na praia do limite e consta do programa do espectáculo Fausto. Fernando. Fragmentos. – criado em 1988 pelo Ricardo Pais, no Nacional.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: